Pesquisa QC

Pesquisa personalizada

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Uso do celular e possíveis riscos


Muito se tem falado sobre possíveis riscos do uso do celular. Existem várias discussões sobre o assunto, como a possibilidade de causar desastre de avião, de causar explosão em postos de gasolina, da incompatibilidade com a condução de automóveis, do risco de condução de eletricidade em tempestades durante a utilização, de fazer mal à saúde em caso de uso excessivo (causar problemas de visão, da memória, dor de cabeça e câncer). Recentemente as atenções recaíram sobre o risco de desenvolvimento de câncer no cérebro, com a divulgação da Organização Mundial da Saúde (OMS) (colocou os aparelhos na lista de ‘agentes possivelmente cancerígenos’: grupo 1  – inclui os agentes comprovadamente cancerígenos; grupo 2A - agentes provavelmente cancerígenos; grupo 2B – agentes possivelmente cancerígenos). As ondas ou a radiação eletromagnética existente na transmissão e recepção de celulares são semelhantes com as que produzem o rádio, a televisão e o forno de micro-ondas. A radiação é do tipo não-ionizante, diferente da que emite uma máquina de Raio-X (ionizante), por exemplo. São fontes de baixa energia. Porém, sabemos que tudo que é excessivo pode fazer mal. A radiação em grande intensidade faz mal. Então, mesmo que não exista uma confirmação científica, podemos evitar possíveis problemas com o uso dos aparelhos, evitando comprar aparelhos que estejam fora das normas brasileiras de fabricação – 2 watts por quilograma (A Anatel agora exige que conste na embalagem os níveis de radiação), trocar de lugar constantemente quando ele estiver junto ao corpo (bolso direito e esquerdo da calça, bolso do casaco, bolsa), se possível guardá-lo longe do corpo quando não estiver em uso, alternar o uso direto com o fone de ouvido, evitar falar mais de seis minutos por ligação (conforme recomenda a OMS), manter uma pequena distância do ouvido, utilizar mensagens no lugar de ligações quando der, evitar chamadas prescindíveis e colocar no viva-voz. Podemos pensar, com tudo que já se ouviu a respeito, que a questão não é se vamos usar esta tecnologia, mas sim como vamos fazê-lo... Ah! O uso do celular ao dirigir aumenta em 400% o risco de acidentes... (mesmo que no viva-voz ou fone de ouvido). Seja consciente!

Nenhum comentário: