terça-feira, 8 de setembro de 2009

Eu fiz a diferença



Numa praia tranqüila, junto a uma aldeia de pescadores, morava um escritor. Todas as manhãs, ele passeava a beira-mar, fazendo suas reflexões, e de tarde ficava em casa escrevendo. Um dia, caminhando sobre a areia, ele viu de longe um menino recolhendo na areia as estrelas-do-mar, uma por uma, e jogando-as novamente para o oceano. “Por que você está fazendo isso”, quis saber o escritor, ao se aproximar. “Você não vê?”, respondeu o menino. “A maré está baixa e o sol está brilhando. Se ficarem aqui na areia, as estrelas vão secar ao sol e morrer...”. “Meu jovem”, contestou o escritor, “existem milhares de quilômetros de praias por este mundo afora, e centenas de milhares de estrelas-do-mar espalhadas pelas praias. Que diferença faz você jogar umas poucas de volta para o oceano, se a maioria vai perecer de qualquer forma?” O menino então se abaixou para pegar mais uma estrela e, ao iniciar o movimento para devolvê-la ao oceano, voltou-se para o escritor e disse: “Para essa eu fiz diferença”. De volta à sua casa, o escritor não conseguiu mais escreve nem dormiu à noite. Esperou chegar a manhã seguinte para encontrar-se com o menino e, juntos, começaram a jogar estrelas-do-mar de volta para o oceano. Você, leitor, não quer fazer desse universo um lugar melhor devido à sua presença? Jogue você também muitas "estrelas" de volta ao oceano.


Nenhum comentário: