domingo, 28 de junho de 2009

A diferença entre países ricos e pobres


A diferença entre países pobres e países ricos não é a idade do país. Isto pode ser demonstrado por países como Índia e Egito, que têm mais de 2000 anos e são pobres. Por outro lado, Canadá, Austrália e Nova Zelândia, que há 150 anos eram inexpressivos, hoje são países desenvolvidos e ricos. A diferença entre países pobres e países ricos também não reside nos recursos naturais disponíveis. O Japão possui um território limitado, 80% montanhoso, inadequado para a agricultura e a criação de gado, mas é a segunda economia mundial. Executivos de países ricos que se relacionam com seus pares de países pobres mostram que não há diferença intelectual significativa. A raça ou a cor da pele também não são importantes: imigrantes rotulados de preguiçosos em seus países de origem são a força produtiva de países europeus ricos. Qual é, então, a diferença? A diferença é a atitude das pessoas, moldada ao longo dos anos pela educação, pela cultura. Ao se analisar a conduta das pessoas nos países ricos e desenvolvidos, constata-se que a grande maioria segue alguns princípios de vida: 1. a ética, como princípio básico; 2. a integridade; 3. a responsabilidade; 4. o respeito às leis e regulamentos; 5. o respeito pelo direito dos demais cidadãos; 6. o amor ao trabalho; 7. o esforço pela poupança e pelo investimento; 8. o desejo de superação; e 9. a pontualidade! Nos países pobres apenas uma minoria segue esses princípios básicos em sua vida diária. Não são pobres porque faltam recursos naturais ou porque a Natureza foi cruel. São pobres porque lhes falta atitude.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Calçada Verde

Existe um movimento de "renaturalização" nas cidades: para aplacar o calor, provocado pela irradiação absorvida pelo concreto e asfalto, e diminuir as enxurradas e enchentes, também conseqüência da alta impermeabilização nas áreas urbanas, cobertura de concretos e asfalto estão sendo substituídos por áreas gramadas e ajardinadas. Plantar árvores, arbustos, forração vertical (hera e unha de gato, por exemplo), e grama de forma organizada, gera o que se denomina de calçada verde. A copa das árvores minimiza a massa construída descontínua da cidade e propicia sombreamento (ambientes mais frescos). Os arbustos e trepadeiras plantados em muros, viadutos e arrimos propiciam uma maior sensação de verde. O piso tátil de alerta e direcional e a rampa de acesso são equipamentos que estão entre as soluções para as pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção. Uma calçada inteligente proporciona fácil acesso para manutenção das redes sem quebrar ou "remendar" o piso, uma vez que as peças drenantes podem ser retiradas uma a uma e recolocadas com facilidade, sem necessidade de mão de obra especializada. O processo de intervenções no subsolo torna-se mais simples, rápido e seguro, além de proporcionar diminuição da poluição sonora aos transeuntes. Para maiores esclarecimentos, consulte a prefeitura de sua cidade. É recomendável consultar um profissional, geralmente arquiteto-paisagista, que pode dar opções de como criar uma calçada verde.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Cartão de Banco - Como utilizar com segurança


- Nunca empreste seu cartão ou deixe que alguém que você não conheça toque nele. Preste atenção quando alguém esbarrar em você. O cartão pode ser trocado;
- Não coloque sua senha nele;
- Caso seu cartão seja roubado ou perdido, comunique imediatamente seu banco; Em caso de assalto, registre a ocorrência na delegacia mais próxima;
- Caso o cartão fique retido no caixa automático, digite as teclas Anula ou Cancela e comunique ao banco;
- Nunca revele sua senha;
- Cuide para que ninguém veja você digitar a senha;
- Ao sair, somente leve o cartão se for utilizá-lo;
- Evite expor seu cartão a campos magnéticos (rádios, vídeo, celular, etc.);
- Procure não arranhá-lo (Contato com outros cartões, com superfícies ásperas, etc.).

sexta-feira, 19 de junho de 2009

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Princípio dos Rs



Podemos estabelecer muitos erres em relação a posturas sociais e ambientalmente corretas: Recuperar, Reaproveitar, Renovar, Reutilizar e Reformar (roupas, objetos, embalagens, idéias); Repensar (hábitos e ações), Raciocinar, Refletir, Responsabilizar-se e Repercutir (sobre nossos atos, de preferência antes de executá-los); Recusar (produtos poluentes ou embalagens desnecessárias), Repudiar, Reagir; Reajustar (condutas), Rebuscar (valores: valorizar o que temos e não dar tanto valor às coisas novas e em maiores quantidades), Reconhecer (a importância dos recursos naturais); Restringir (a liberdade de todos pelo bem comum), Recordar, Reprovar e Ressentir (atos prejudiciais ao meio ambiente); ser Realista (os recursos naturais não são abundantes ou sempre renováveis); Reeducar (toda a população); Reestruturar e Reorganizar (nossos ambientes ou espaços, de forma a facilitar algumas práticas); Reivindicar e Requisitar (novas tecnologias, serviços e leis de empresas e do poder público); Reforçar e Reproduzir (idéias e conceitos), Resgatar e Restabelecer (hábitos adequados); Respeitar (o meio ambiente e as próximas gerações); Remediar áreas degradadas; não comprar coisas Redundantes; Revisar e Relembrar (informações importantes); Refazer as contas (os custos econômicos não podem ser mais importantes que os ecológicos); Reter objetos (em seu domínio para não jogar em qualquer lugar); Retornar ao fabricante resíduos tóxicos; Retroalimentar sistemas de produção; Reunir pessoas interessadas (para exigir mudanças de outras pessoas, de empresas e até mesmo do poder público); Romper preconceitos; evitar Riscos ambientais; estabelecer uma Rotina (para os hábitos ambientalmente corretos); Relacionar os problemas ambientais às nossas ações (tudo o que fazemos diariamente tem conseqüências ao meio ambiente); Recomendar (práticas ambientalmente corretas ao maior número de pessoas); Recorrer a outros métodos de produção, destinação de resíduos, fontes de energia etc; Repartir (objetos e bens com outras pessoas); Resistir (à uma determinada situação e tentar revertê-la); Reduzir o consumo, o descarte de resíduos e a poluição; Reciclar (em último caso, mas sempre que possível).

domingo, 14 de junho de 2009

Dia para se reciclar















Escolha um dia para dar “uma geral" em suas coisas. Limpe suas gavetas, seus armários, sua vida! Procure se desfazer de tudo aquilo que você “talvez utilize um dia”. Elimine papéis inservíveis, digitalize papéis para enviá-los para reciclagem. Colocando papéis em circulação você estará poupando árvores. Apague arquivos desnecessários de seu computador. Envie seus livros para uma biblioteca (instituição de ensino). Envie para reciclagem metais e vidros. Doe roupas, sapatos, remédios (com validade) e brinquedos.



quinta-feira, 11 de junho de 2009

Preserve o Bugio (RS - Brasil)



Não mate os Bugios. Eles não são os responsáveis pela febre amarela. Veja este vídeo produzido por Elisandro Oliveira dos Santos, veterinário responsável pelo Zoológico Municipal de Canoas - Pampas Safari - RS.


quarta-feira, 10 de junho de 2009

Mensagem


Uma antiga e sábia oração dos índios Sioux, roga a Deus o auxílio para nunca julgar o próximo antes de ter andado sete dias com as suas sandálias. Isto quer dizer que, antes de criticar, julgar e condenar uma pessoa, devemos nos colocar no seu lugar e entender os seus sentimentos mais profundos.

domingo, 7 de junho de 2009

Crack Nem Pensar


A RBS lançou a campanha Crack Nem Pensar. O crack é mais potente do que qualquer outra droga e provoca dependência desde a primeira pedra. Os usuários, além de se tornarem alvo de doenças pulmonares e circulatórias que podem levar à morte, se expõem à violência e a situações de perigo que também podem matá-lo. A prevenção é a arma mais forte na luta contra o crack. Se é temerário afirmar que todo usuário de maconha se tornará dependente de crack, é quase certo que o usuário de crack experimentou maconha antes. Não entre nessa... Fique atento à movimentação nos arredores da sua escola ou de seu filho. Denuncie a venda e o consumo de crack. Saiba onde encontrar apoio. Para saber mais, visite o site: www.cracknempensar.com.br.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Moradores de Rua (Albergue Municipal)


O rigor do inverno em Porto Alegre (RS - Brasil) faz com que a Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc) intensifique as abordagens. O processo visa o resgate da auto-estima do morador em situação de rua, além de dar acesso a políticas de assistência social. As pessoas que resistem para ir ao abrigo, recebem mantas e orientações dos monitores. Os que aceitam abrigo, têm acesso a banho quente, troca de roupa, jantar, cama em albergue coletivo e café da manhã. Na estadia, o morador de rua pode participar de oficinas de arte-criatividade e receber atendimento de enfermagem. São feitos encaminhamentos de documentação para os usuários, direcionamento aos serviços de saúde e são concedidos vale-transporte e vale-foto. O serviço noturno de abordagem de rua também é responsabilidade do albergue. Além da demanda definida pela Fasc, o Albergue Municipal recebe ligações da sociedade civil para realizar as abordagens de rua à noite.

Solicitações de abordagens durante a noite:

Albergue Municipal Rua Comendador Azevedo, 215 - fone 3346.3238Solicitações de abordagens a partir das 19h

Solicitações de abordagens durante o dia:

- Adultos: Serviço de Atendimento Social de Rua, fone 3221.8578 - das 8h30 às 12h e das 13h30 às 18h.
- Crianças e adolescentes: Serviço de Educação Social de Rua, fone 3221.2024 - das 7h às 24h.

Coloque os números em seu celular. Vale a pena!

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Receptação de roubo

O crime de receptação ocorre quando alguém recebe, transporta ou esconde produtos que sabe terem sido adquiridos por meio de crime. Também é receptação o ato de influenciar outra pessoa a receber ou ocultar esses produtos. Se não houvesse o receptador, os roubos seriam inviabilizados. A receptação facilita a ação dos bandidos, incentiva o uso de drogas e, queiram ou não, alimenta o número de mortes de pessoas inocentes. Desconfie quando alguém oferecer uma mercadoria de preço muito inferior. Só compre se a pessoa for sua conhecida e tiver uma nota fiscal original do aparelho. Outro cuidado é fazer um recibo colocando a data, o nome e número dos documentos do vendedor para comprovar que comprou dele. Se você comprar de um desconhecido não terá quem apontar na hora que for abordado pela polícia. O comprador pode ser punido com pena de prisão.